Querido Basílio

Lisboa, um dia qualquer de junho Querido Basílio, O abismo entre nós fez minhas lágrimas secarem, porém, ainda sinto na boca o gosto frio do punhal da humilhação, da chantagem e do abandono que cravaste em mim. Ainda me consumo de arrependimentos, quando lembro que devia ter deixado no passado, aquele amor que chamastes deContinuar lendo “Querido Basílio”

Rocambole, recheio de amor

A cozinha é o meu lugar sagrado de magia, lembranças e meu cômodo preferido da casa. E é desse lugar a lembrança mais nostálgica que carrego comigo. A lembrança do Rocambole de Goiabada que minha mãe fazia, nas raras vezes em que cozinhava. A receita é simples: massa de pão de ló e goiabada cremosa.Continuar lendo “Rocambole, recheio de amor”