CASA SOLAR

Em janeiro do ano passado, participei de um desafio epistolar com uma comunidade de mulheres de língua espanhola. Nos três dias de desafio, enviei três cartas a uma estranha e devia receber três cartas de outra estranha. Recebi uma bela carta de uma professora de literatura que morava em Cali, uma cidade tropical do interiorContinuar lendo “CASA SOLAR”

CAFETAL

Nós quatro saímos da fazenda caminhando direto para o riacho, no riacho cada um procurava um lugar para submergir nas águas cristalinas e eu me concentrava em observar as correntes e brincar com as pedras. Após a pequena passagem pelo riacho continuávamos para a frente. O objetivo sempre era subir uma colina. Ao longo doContinuar lendo “CAFETAL”

AMARELO

Na chama que consome o cigarro, o tempo passa e as desditosas páginas se amontoam. Uma pilha de cacos desconexos do meu ser. O que está ali sobre a mesa sou eu em forma de prosa. Prosaica. Sorrio amarelo no espelho para a figura esquálida que me olha assustada. Há tempos não nos vemos. Impressiona-seContinuar lendo “AMARELO”