A última barca para Paquetá

Ela me ofereceu um cigarro tirado de uma cigarrilha cravejada de brilhantes. Eu havia envenenado meu fígado de muitas maneiras diferentes antes de me sentar naquela amurada, tinha acabado o happy hour e não consegui pegar a última barca pra Paquetá. Aquela oferta me fez fixar o olhar em quem só de lado me fitava.Continuar lendo “A última barca para Paquetá”

Resenha ” Lucy Diamond, Os Segredos da Felicidade, 2021, editora Arqueiro.”

Aproveito o fim emotivo da minha leitura para escrever sobre ela, com o calor ainda subindo pelo meu rosto e molhando meus olhos contra a minha vontade. Me sinto impelida a escrever uma resenha formal, daquelas com início, meio e fim bem definidos, no qual traço a sinopse, falo curiosidades sobre a autora e expressoContinuar lendo “Resenha ” Lucy Diamond, Os Segredos da Felicidade, 2021, editora Arqueiro.””

Eu gostaria que chovesse agora

A caixinha de som na traseira da moto vibrava ao solo da guitarra. Parecia uma súplica, que chovesse naquela hora, aplacando o sol escaldante do Ceará, e lavasse sua alma empoeirada da estrada, que acumulava as traças da falta de contato, da distância que aquela missão havia imposto aos dois. Ele havia voltado apenas porContinuar lendo “Eu gostaria que chovesse agora”

Um grande dia para escritoras

Desejo começar esse texto de um jeito que me pareça que falo para uma pequena audiência, uma sala com alguns espectadores, sem pretensão de parecer detentora de um conhecimento maior. Sinto falta dos tempos em sala, daqueles momentos de interação com a classe, da partilha que se realizava nesses espaços. E então eu diria: OláContinuar lendo “Um grande dia para escritoras”

Carrossel Encantado

Busquei muitas palavras para escrever, pensei em temas relevantes para meus leitores, mas adoeci física e emocionalmente no último mês e não fui capaz de mais nada. Li o que me foi possível, não escrevi nenhuma palavra. E então, com a caneta no papel nesse instante, me dei conta de que tenho vivido em carrosséis.Continuar lendo “Carrossel Encantado”

TERRA INCÓGNITA

Em minhas expedições urbanísticas conheci muitas cidades. Uma delas, particularmente, marcou minha existência, pois sou fruto de suas terras férteis. Como filha egressa, cravei minha bandeira em muitos territórios, mas chegou o dia em que se tornara imprescindível tornar à casa, conhecê-la novamente, e narrar suas idiossincrasias com meu olhar de viajante. Quando avistei BritesContinuar lendo “TERRA INCÓGNITA”