NÃO TOQUE NO MEU CABELO!

Por: Elaine Resende Recebi uma tarde dessas uma mensagem com uma foto, uma daquelas recordações que te transportam de pronto para um dia infinitamente bom. Minha irmã e eu, lado a lado, no batismo da bebê que eu seguro nos braços, com meus olhos inchados e o nariz vermelho. Olívia, a bebê em meu colo,Continuar lendo “NÃO TOQUE NO MEU CABELO!”

VALE CARIOCA

Por: Elaine Resende Peguei os exames na gaveta, coloquei na sacola de pano e dei uma última olhada no espelho. Tenho orgulho de parecer uma cobra que engoliu um boi. A roupa não esconde mais a pele lustrosa e o zebrado branco, a mensagem evidente de que o dia tão esperado está próximo. Um arrepioContinuar lendo “VALE CARIOCA”

A onda sônica

Por Elaine Resende Eu olhava incrédula para o noticiário. Seria aquele o momento da nossa extinção? O meteoro vinha em nossa direção e nos esmagaria. As pessoas estavam em suas casas junto às suas famílias acompanhando o noticiário que trazia as imagens em tempo real. Alguns grupos, no entanto, reuniram-se nas igrejas de adoração eContinuar lendo “A onda sônica”

LADY IN RED

Por: Elaine Resende O DJ anunciou a hora do intervalo e colocou uma música antiga, que ele reconheceu imediatamente de um dos discos da sua mãe. Era uma música muito romântica, que falava sobre um homem que admirava uma mulher com a qual dançava, a mais bela de todas, cobiçada pelos homens no salão. ElaContinuar lendo “LADY IN RED”

Uma palavra para chamar de minha

Por: Elaine Resende Assisti esses dias a um trecho do filme Comer, rezar, amar, exatamente no ponto em que perguntam à escritora qual é a sua palavra. Ela responde de pronto: escritora. Ao que retrucam: isso é o que você faz, não quem você é. Mudei de canal 5 minutos depois, ou talvez 30, porqueContinuar lendo “Uma palavra para chamar de minha”

Instagram, Lord Byron, Ada Lovelace e as coincidências divertidas da vida

Por: Elaine Resende Alguém há de comentar laconicamente que tudo ficou mais tedioso depois do smartphone. Um pouco, tenho que concordar! Para contar uma boa história muitos elementos são necessários. Precisa ter bons personagens, enredo cativante, as primeiras linhas devem entreter seu leitor para que ele não vá embora. Às vezes eu vou! E façoContinuar lendo “Instagram, Lord Byron, Ada Lovelace e as coincidências divertidas da vida”

CIO DA FÊMEA ALFA

Por: Elaine Resende Estava quente. Mas não era o clima ou a noite de verão. Era o meu corpo. Estava no cio. Parecia um animal selvagem, espreitando a minha presa, pronta para o ataque. Farejei atrás de suas orelhas, toquei as pontas de seus dedos com a minha língua. Meu corpo se curvava para frenteContinuar lendo “CIO DA FÊMEA ALFA”

CÍRCULO DE FOGO

A gente saiu da missa após Gabriel cantar que “é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã…”. Essa nunca foi minha parte preferida. Sempre gostei mais quando Renato Russo entoava “o amor é fogo que arde sem se ver.” Um contentamento descontente é melhor que só dor. Era assim aquele grupo para mim,Continuar lendo “CÍRCULO DE FOGO”

SALVE A LUA MULHER!

Essa semana fomos brindados por uma lua cheia cinematográfica. Senti vontade de ir para a rua, montar o tripé e colocar a câmera em longa exposição, capturando um beijo de um casal apaixonado com aquela belezura redonda e rosada ao fundo. Vários filmes me vieram à cabeça, o tempo todo somos expostos mais que cofrinhoContinuar lendo “SALVE A LUA MULHER!”

CONSTRUAM UM FOGUETE, MENINOS!

As crianças faziam barulho, correndo pela grama ainda úmida da garoa matinal. O cachorro corria e latia, pulava em suas pernas curtas, tentando alcançar as bolas de sabão, que pintavam aquele dia de multitons. A cada vez que o sol passeava por uma delas, um arco-íris parecia saltar para o nosso jardim. E então euContinuar lendo “CONSTRUAM UM FOGUETE, MENINOS!”