Uma palavra para chamar de minha

Por: Elaine Resende Assisti esses dias a um trecho do filme Comer, rezar, amar, exatamente no ponto em que perguntam à escritora qual é a sua palavra. Ela responde de pronto: escritora. Ao que retrucam: isso é o que você faz, não quem você é. Mudei de canal 5 minutos depois, ou talvez 30, porqueContinuar lendo “Uma palavra para chamar de minha”

PROFUNDO (A)MAR

Finitas tardes intermináveis,Cabelos embaraçados, soltos.A ventania os amava tanto…E a recíproca era real. Surreal.Cobrindo face, encobrindo medos,Embalados na canção profunda,Tão profunda a misturar brisa, riso,Sonho, desejo, lágrima e sal…Uma vida. Uma eternidade. Mar.Profundidade. Melancolia. Despertar.Verdes ondas acariciando as rochas,Acolhendo as lágrimas, abraçando-as,Dançando ao som do meu pranto…Pressentindo a dor da despedida,Vislumbre imediato, encantamentoUm cenário familiarContinuar lendo “PROFUNDO (A)MAR”