Clara no Sistema

Clara não conseguia respirar dentro do ônibus lotado. Estava abafado e sua sensação era a de que o ar que entrava pela janela estava denso, pesando sobre seu corpo franzino. A máscara no rosto incomodava mas não era prudente prescindir dela se quase todos os seus companheiros de viagem já a haviam dispensado. O suorContinuar lendo “Clara no Sistema”

Verdades ínfimas

Acordou acompanhada pelo Chico. Buarque. “Cotidiano”, a música com a qual despertara naquela terça-feira. Ainda deitada, visitava, por meio da melodia, o ritmo padronizado de suas escolhas; na letra, que se repetia incessantemente em seu pensamento, a estória de uma vida. Dia a dia. Ano a ano. Décadas. Definitivamente, era aquela “A música” que representavaContinuar lendo “Verdades ínfimas”

Apenas mais um texto infeliz

Era escritora. Ofício difícil, que carrega muita dor.  Para escrever, pensava principalmente no passado. Os abandonos que sofrera, a saudade da família, os relacionamentos que não foram para frente… toda a sorte de angústias, desprazeres e frustrações. Era um dia frio de maio, um domingo daqueles entediantes, arrastados. Foi para a frente do computador comContinuar lendo “Apenas mais um texto infeliz”

A BONEQUINHA

Quando cheguei do aeroporto no apartamento em que ficaria hospedada fui levada pela dona da casa até o quarto que eu ocuparia. Desarrumei a mala, acomodei minhas roupas e tudo que eu trouxe da melhor forma possível no armário que me havia sido oferecido. Como sempre faço, dei uma olhada em torno do quarto e viContinuar lendo A BONEQUINHA

Feliz aos 40

Era seu 40° aniversário. Olhou-se no espelho após a festa e sentiu que as rugas começavam a pular de seu rosto, uma a uma. Passou removedor de maquiagem e tocou em sua própria face, percebendo cada marca de expressão. Jogou água no rosto. Como em um mapa, ele trazia os caminhos de uma história: quarentaContinuar lendo “Feliz aos 40”

MULHERES…

A frieza do saguão daquele aeroporto não obstou o encontro dos olhares daquelas mulheres. Duas singularidades, absolutamente díspares, aos olhos do mundo posto. Um duplo de almas, aos olhos do invisível. O jeans, surrado e justo, gritava por autonomia, liberdade e sensualidade. A burca, negra e austera, sussurrava por discrição, tradição e sensualidade. Não seContinuar lendo “MULHERES…”

TERRA INCÓGNITA

Em minhas expedições urbanísticas conheci muitas cidades. Uma delas, particularmente, marcou minha existência, pois sou fruto de suas terras férteis. Como filha egressa, cravei minha bandeira em muitos territórios, mas chegou o dia em que se tornara imprescindível tornar à casa, conhecê-la novamente, e narrar suas idiossincrasias com meu olhar de viajante. Quando avistei BritesContinuar lendo “TERRA INCÓGNITA”

UM CAFÉ E UM ANSIOLÍTICO, PELO AMOR DE DEUS AGORA.

Cinco da tarde. Faltam apenas trinta minutos para terminar o expediente. Mas o número de declarações para fazer ainda é enorme. Período de imposto de renda é intenso, não dá para negar trabalho. Lembro-me da roupa que esqueci na máquina de lavar quando saí de casa. Terei que bater de novo. E também que tenhoContinuar lendo “UM CAFÉ E UM ANSIOLÍTICO, PELO AMOR DE DEUS AGORA.”

PRINCESA DO MEU LUGAR*

Chegou na cidade na hora de mais calor. Estava tão feliz arrastando sua mala colorida pela rua de pedras que nem se importou com o suor que escorria em bicas e encharcava o vestido. As rodinhas da mala trepidavam pelas pedras do calçamento e faziam tanto barulho que ela mal conseguia ouvir a conversa daContinuar lendo “PRINCESA DO MEU LUGAR*”

NOVELA

Assistia todas as novelas, das duas, seis, sete, oito e qualquer outra reprise que pudesse passar entre esses horários. Entre sonhos e panelas, desejos e afazeres, aquela vida encantada das novelas dividia sua mente entre os devaneios e a realidade, mais devaneios que realidade. Se imaginava a mocinha da trama das seis e num passeContinuar lendo “NOVELA”