O SOM DAS CONFISSÕES

Vento,
em tua matéria
dela o perfume.
da minha mãe,
lembras?
quebras as esquinas.
gelado, caliça.
minhas narinas
secas
seguem tua preguiça,
tua parte cerce ao chão.
entras em casas
de portas fechadas
arrepias as águas calmas
dos regatos
fazes gracejo nas flores
até pedras te obedecem.

O vento tem pernas grandes
um sonzinho
de fazer confissões.
atentos, o ouvimos:
um sibilar de verdades.
ninguém decifra.
juntos,
sondamos tua aura,
mãe.
pensei te ouvir falar
quando no meu quarto
zéfiro, que de tudo vê
descansou da lida do dia
preso às cortinas.
.
Sussurras, mãe
em sonhos que não lembro.
longe, como se não houvesses.
rogo dezembros em teus braços.
me cercam, mirram a dor,
seca meu choro de menina.
tive que crescer
mas não sai do teu colo.

Tua voz, mamã
xamã,
chega do mar
(amigo de infância)
chega do que é natureza
que a beleza inventar:
da revolução dos teus versos
que pusestes
nas pontas de meus dedos.
chega do teu criar formosuras
quadros, bustos
de massa areia, cimento
ferro, arbustos.
tuas mãos,
gesto farto do pão
cobertor
conselho. labor.

Madre, não me assusta
tua face fora dos retratos
tua voz num sopro quente.
em meus ouvidos
teu declamar de versos
em todo lugar de que me faço

Crédito da Imagem: Foto por Nita em Pexels.com

Os textos representam a visão das respectivas autoras e não expressam a opinião do Sabático Literário.”

20 comentários em “O SOM DAS CONFISSÕES

    1. @emersoncardosoemerson, querido, muito obrigada, grande escritor e poeta. Parabéns pelo seus textos na Antologia TIRO DE LETRA, da @oiaeditora. Aguardo ansiosa o relançamento do seu livro O BAILE DAS ASSIMETRIAS, que li e reli encantada com as variedades e peculiaridades das situações , personagens e cenários inusitados. É uma honra para mim ver você aqui, no nosso Sabático Literário. Um beijo. Obrigada!

      Curtir

  1. Tia,

    Mais que homenagem linda à maternidade e ao laço construído entre mãe-filha(o) que mesmo quando a matéria já não existe é trazido pelos ventos o cheirinho de cuidado que só os braços maternos podem oferecer. Belo poema e parabéns pela escrita e sensibilidade. Amei.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: