AMOR EM VÃOS

Por: Jovina GBenigno

Este amor que inibido,
nem alvo foi do cupido,
pois já vinha concebido
num peito distraído.

Ignorado ferido,
Solitário, desvalido,
sem nenhuma esperança,
tão adulto
tão criança,
vai e vem
não se cansa.

Revela-se em alternância,
e mesmo sem confiança,
de ser mesmo um dia Amor,
é flor de mel revelado,
é pão com limão cortado.

Atado ao vento do tempo,
sem rima, sem meio,
é sina em que me ateio,
e como foi, veio.
finda sua caminhada,
virou olhou a estrada
perplexo, não viu nada. 

Crédito da Imagem: Foto por Mario Wallner em Pexels.com

Os textos representam a visão das respectivas autoras e não expressam a opinião do Sabático Literário.”

2 comentários em “AMOR EM VÃOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: