Des(encanto)

Já perdera de longe
a contagem dos dias

Servir
Agradar
Atender
Anular

De onde vinham todas aquelas cobranças?

Por mais que fizesse
se esforçasse
desviasse a atenção
Lá estavam elas
Listadas
Pontualmente
A sufocar

Sempre tem alguém para mandar
E na roda o mandado

Como uma continuação nada efêmera daquele rigor travestido de bom

Mas hoje não

Na balança
um minuto de reconhecimento
seguido de horas de insuficiência

Hoje não

Nas desculpas sem assinatura

Eu quisera entender
Quantas versões do amor existe

Só para saber
Quando sou amada
E quando não


Crédito da imagem:  Foto por Skyler Ewing em Pexels.com

Os textos representam a visão das respectivas autoras e não expressam a opinião do Sabático Literário.”

2 comentários em “Des(encanto)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: