SAUDADE

Por: Carol Pessôa

Desde pequena sentia um estranho aperto no peito. Os pais a levaram a vários médicos. Também iniciou tratamento psicológico. Mas nada resolvia a estranha pontada no coração.

A família comentava que ela era uma menina problemática. Sempre com notas baixas, problemas de saúde, desânimo para as brincadeiras.

Não havia o que a fizesse sorrir de verdade. Nas fotos, sozinha ou em grupos, exibia sempre uma expressão amarela, sem graça.

Assim foi até os 33 anos.

Cresceu, tornou-se uma médica pediatra responsável, decidida.

Cuidava das crianças com todo o empenho. Era como se buscasse naqueles pequenos a cura de suas próprias dores de menina.

Até que em um dia de emergência, atendeu um pai viúvo que carregava a filha nos braços em desespero. Ela estava com fortes dores na barriga, e ele não fazia ideia de que era apenas uma cólica menstrual. Perdido e preocupado, não entendia que seu bebê estava se tornando uma mulher.

Alice riu. E pela primeira vez, teve a estranha sensação de que seu riso era sincero. E ao receber a notícia de que sua filha virou mocinha, Pedro também riu. Sentiu-se ridículo.

E naquele inusitado encontro, surgiu um sentimento diferente. Alice, como boa médica, foi percebendo dia a dia que a pontada em seu peito melhorava. E foi aconselhada por uma amiga a procurar atendimento espiritual em um grupo kardecista.

Cética, ela teve dúvidas, mas decidiu arriscar.

Ao conversar com o conselheiro, escutou aquilo que jamais imaginava.

“Saudade. Era saudade”.

Alice e Pedro foram companheiros em muitas vidas. E escolheram a madura idade para o reencontro, este abençoado pelos espíritos amigos.

Encantada com a descoberta, ela correu como nos filmes românticos. Já sabia onde ele trabalhava. Pedro era defensor público, e atuava no centro da cidade.

E como nas comédias românticas, ao chegar ela descobriu que ele havia acabado de sair. Para ir ao hospital, explicou uma das funcionárias, entregar um buquê de rosas a uma médica que havia atendido sua filha há poucos dias.

E assim, mais uma vez, recomeçou uma das mais lindas histórias.

Vivida, revivida, eterna.


Crédito da Imagem: Foto por Viktoria Slowikowska em Pexels.com

Os textos representam a visão das respectivas autoras e não expressam a opinião do Sabático Literário.”

Publicado por Carol Pessôa

Jornalista, escritora e ex-atriz. Autora do livro À Beira da Vida, a venda nos sites da Amazon, Americanas, Magazine Luiza e Submarino.

3 comentários em “SAUDADE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: